PÁGINA INICIAL

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Polícia apresenta os 13 suspeitos de assaltar R$ 15 milhões da Servi-San

Quadro meses depois do assalto em que uma quadrilha roubou R$ 15 milhões da empresa se segurança Servi-San, a Secretaria de Segurança apresentou na manhã desta segunda-feira (10/04) os presos da 'Operação Tríade' desencadeada semana passada. Ao todo 15 pessoas foram capturadas, mas duas já foram soltas. Parte da quadrilha foi localizada em São Paulo e transferida para Teresina na última sexta-feira (07/03).
As investigações concluíram que o grupo, formado por piauienses e paulistas, fugiu de Teresina para São Paulo com o dinheiro roubado usando um caminhão.
“Prendemos oito criminosos em São Paulo, seis em Teresina e um no Maranhão. Os piauienses eram responsáveis pela troca de informação privilegiadas, assim com logística do crime. Os paulistas executaram a missão, fazendo sequestro das vítimas e entrando na empresa de valores. Os piauienses ainda deram apoio na retirada das armas seguindo rota pelo Ceará”, explicou o secretário Fábio Abreu.
“Este grupo criminoso atuou em três assaltos. Além da Sevi San, também levaram dinheiro do caixa eletrônico na Procuradoria Geral do Estado e do aeroporto de Teresina. Foi uma investigação complexa que envolveu Polícia Civil, Militar e Federal. Foi um trabalho integrado que contou ainda com apoio do Judiciário, na pessoa do Dr Luis Moura, e das forças de segurança do Estado de São Paulo”, disse Riedel Batista, Delegado Geral.


O delegado do Greco, Genival Vilela, informou que ainda existem mais pessoas a serem presas e por isso a parceria com a Polícia Civil de São Paulo continua. Sobre a investigação, ele afirma que a primeira pessoa identificada era funcionário da empresa de valores.
“Logo após o crime começamos levantar informações e colher imagens. Uma das primeiras pessoas presas trabalhava na própria servisan. Contou versão e verificamos nas imagens que não era verdadeira. Depois verificamos que um dos veículos abandonado tinha uma multa e fomos ao local identificando um dos ocupantes. Um outro foi identificado atráves da troca de informações com a Polícia Civil de São Paulo e com andamento das investigações identificamos outros”, acrescentou.
A quadrilha tinha funções bem definidas e repartiu os valores roubados de acordo com a participação de cada um. Piauienses levaram em torno de R$ 50 mil, enquanto os paulistas que estavam na linha de frente ficaram com R$ 600 mil a R$ 1 milhão. Parte do dinheiro foi recuperado.
“Através do Grupo de Repressão ao Crime Organizado conseguimos desbaratar essa organização criminosa. Conseguimos apreender aproximadamente R$ 600 mil na cidade de São Paulo e estamos buscando, via burocrática, a transferência deste dinheiro”, completou Gustavo Jung, delegado do GRECO.
“ Nós trabalhamos em silêncio e mostrando resultados. Próximo passo é recuperar os recursos que eles subtrairam. Precisamos tirar de circulação esse dinheiro porque não basta apenas prender, mas também desestruturar financeiramente a quadrilha para que não possam custear a soltura desses presos com produto de crime. Parabenizo e agradeço aos policiais Civis e Militares do Piauí e São Paulo, Policiais Federais, DEIC-SP e demais envolvidos direta e indiretamente neste trabalho”, finalizou o secretário Fábio Abreu.
As investigações aconteceram em Teresina, São Luis (MA), São Paulo (SP), São José dos Campos (SP), Cotia (SP), Taboão da Serra (SP) e Jacareí (SP). Participam da Operação cerca de 100 policiais do Greco do Piauí, Diretoria de Inteligência da SSP/PI, DEIC-SP e Policiais Civis do Maranhão.
* Fotos da Assessoria da SSP-PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário