PÁGINA INICIAL

sexta-feira, 31 de março de 2017

Reforma da Previdência é debatida em Audiência Pública em Luís Correia

A Câmara Municipal de Luís Correia realizou audiência pública, hoje (30), e reuniu centenas de pessoas no plenário da Casa de Leis, especialmente Trabalhadores rurais e Pescadores, jovens estudantes e profissionais da educação. Com o tema “Em Defesa dos Trabalhadores e Contra a Reforma da Previdência”, os participantes falaram os principais prejuízos atribuídos aos trabalhadores, com a possível reforma, e sugeriram formas para tentar reverter à aprovação do projeto em esfera federal.

Proposta pelo vereador Valdemir Pereira (PT), a audiência contou com a participação do líder do PT na Assembleia Legislativa o deputado estadual, João de Deus, da vice-presidente da FETAG-PI, do presidente do Sindicato dos pescadores de Luís Correia e Cajueiro da Praia (Sindipelc), Liduina Almeida (Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Luís Correia), Secretario Municipal de Pesca e Aquicultura de Luís Correia, Cajado, além dos vereadores Dinis de Parnaíba e Clécio de Bom Principio. 



“Nosso objetivo principal dessa audiência é focar na questão do trabalhador rural e pescadores, pois muitos deles não estão completamente inteirados dessa proposta e de como ela nos afeta e pode nos prejudicar, o governo federal quer altera as idades, por exemplo, as mulheres se hoje se aposentam com 55 anos e os homens com 65 e contribuição de 35 anos, com a aprovação da reforma somente de contribuição será 49 anos. Esta reforma não atinge somente trabalhadores rurais mais sociedade em geral. Esta audiência nos dá oportunidade de elaborarmos um documento oficial e encaminharmos para nossos representantes na Câmara Federal (Deputados Federais e Senadores)” repudiando essa proposta, salientou o vereador Valdemir Pereira, sobre a importância do evento.


Já o vereador, advogado Raphael Silva (PPL), usou a palavra para falar sobre os efeitos prejudiciais que a reforma proposta pelo Governo traz tanto para trabalhadores rurais e pescadores, quanto para sociedade em geral. Entre os esclarecimentos, afirmou que sob seu olhar de jurista se posiciona contrario esse modelo de proposta (PEC 287).
O deputado João de Deus ressaltou que o aumento de contribuição proposto pelo Governo, não condiz com os valores arrecadados, e os principais devedores da previdência são as grandes empresas e os bancos financeiros, onde citou o Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica e a empresa JBS (aquela da operação carne fraca).


“A previdência é um amparo de muita gente, trabalhadores rurais e urbanos. Todas essas categorias trabalham e contribuem para serem amparadas na fase em que não possuem condições de trabalho e devem ser aparados pela seguridade social, e agora simplesmente o governo que chegou ao poder através de um golpe, não foi eleito, quer que o trabalhador contribua 49 anos, então pra se aposentar com 65 anos que é a idade mínima, ele tem que começar a trabalhar com 16 anos de idade. Pra um jovem, por exemplo, que geralmente começa a trabalhar com 20 anos, a aposentaria vai ser possível mais com um salario reduzido, com a reforma do Temer a chance do trabalhador rural se aposentar praticamente acaba. Então esse movimento tem ganhado força em todo o Brasil e vamos pressionar nossos deputados e senadores por que são eles que irão votar”, explicou.
Assuntos como as aposentadorias especiais, proporcionais e até mesmo as modificações previstas para as pensões e a idade mínima de aposentaria, foram outros temas discutidos durante a audiência.

Para o Secretario de Pesca de Luís Correia, Cajado, uma das classes mais afetadas com a reforma será o pescador. “Os efeitos serão devastadores para nossos pescadores, então nós estamos nós posicionando contra essa reforma, embora muitas outras classes sejam atingidas, nós entendemos que umas das fontes de produção aqui do nosso município se dá através da pesca e também da agricultura familiar, são eles que produzem e estamos em parceria com esse movimento para que essa PEC não seja aprovada e retire os direitos dos nossos trabalhadores”, garantiu.

A FETAG-PI esteve presente representada pela sua vice-presidente. Onde disse que a audiência foi extremamente positiva. “Foi uma oportunidade importante para o povo se manifestar e cobrar dos nossos deputados a defesa dos direitos do trabalhador. Esperamos que essa audiência tenha sido esclarecedora não apenas para o cidadão, mas que também nossos vereadores cobrem dos seus deputados federais para que se sensibilizem de que o povo não quer essa reforma”, disse.

A audiência teve bom público e contou ainda com a presença do presidente da Casa Legislativa, vereador Zé Maria e dos vereadores: Carlitu´s, Mirialdo Mota, Artranho Mota, e Raphael Silva. Além de autoridades religiosas como o Padre Marcelino.

Por Wilton Veras/Fotos: Ascom CMLC

Nenhum comentário:

Postar um comentário