INÍCIO

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Piauiense está entre os 77 candidatos que conseguiram nota máxima na redação do Enem

Um piauiense está entre os 77 candidatos de todo país que conseguiram atingir nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Bruno Henrique Batista Valcácer, 17 anos, entrou para esse clube seleto ao fazer 1000 pontos na prova. Ele conta ao Cidadeverde.com que usou no texto citação do jornalista e escritor Gilberto Dimenstein sobre cidadania e lembrou de exemplo de intolerância religiosa, tema da redação. 
O candidato "culpa" a prática diária de textos pelo resultado. "Estou muito feliz. As escrituras e reescrituras contribuíram para eu ter angariado essa nota", disse Bruno que estudou no colégio CEV. 
Aluno que sempre estudou em escola privada, Bruno conta que não gostava de ler. Para compensar essa deficiência, ele disse que buscou no conhecimento gerais e de mundo uma estratégia para se dar bem na escrita.

“Não gosto de ler por incrível que pareça, e para não ficar tão doloroso comecei a pesquisar outras técnicas e busquei conhecimento de mundo, de história e ideias filosóficas e sociológicas. Outro fator que ajudou foi o esforço e a determinação de escrever e reescrever sempre”, conta o estudante que busca o curso de Medicina.

Mesmo tirando nota máxima, Bruno teme que não seja suficiente para conseguir uma vaga no curso de Medicina. “vai depender de outras áreas”.
Bruno destaca que o candidato precisa estudar e relacionar o aprendizado com a vida. Ele ressaltou ainda que usa nas redações citações filosóficas e sociológicas de acordo com o tema e o contexto. 
O piauiense disse que lembrou do jornalista Gilberto Dimenstein, um defensor dos Direitos Humanos e criador do portal Catraca Livre. 

“Eu fiz citação de um livro de Gilberto Dimenstein que falava de cidadania, que defendia que a educação que se dá para a criança irá refletir no adulto”.

Bruno também lembrou no texto da redação do Enem o caso de invasão de um culto de candomblé no Rio de Janeiro, o que caracterizou um claro exemplo de intolerância religiosa. 
Em 2016, só 77 participantes do exame conseguiram alcançar nota mil na redação, segundo o Ministério da Educação (MEC). O número é menor do que o registrado no ano anterior, quando 104 candidatos conseguiram nota máxima. Em 2014, foram 250 redação com notas mil.
Por conta de ocupações estudantis em locais de prova, neste ano a redação do Enem teve duas aplicações. Na primeira, o tema foi 'Os caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil' e o segunda abordou 'Os caminhos para combater o racismo no Brasil”.
Fonte: Cidade Verde

Nenhum comentário:

Postar um comentário